Na Suécia, 3 mil pessoas já usam microchips sob a pele Na Suécia, 3 mil pessoas já usam microchips sob a pele

Na Suécia, 3 mil pessoas já usam microchips sob a pele

O microchip é do tamanho de um grão de arroz

A Suécia vem se tornando um dos grandes laboratórios para a inserção de implantes no corpo humano para fins de identificação. Nos últimos, três mil pessoas apostaram na tecnologia invasiva para facilitar seu dia a dia.

Pagar passagem de trem, cartão de identificação de academia são algumas das utilidades do microchip. Outras empresas também já usam a tecnologia para o acesso de seus funcionários no dia a dia. Com o chip instalado na mão, basta acenar próximo ao sensor para registrar a entrada ou saída.

Com tecnologia de NFC (Near Field Communication, ou Comunicação por Campo de Aproximação), comumente empregada em cartões de crédito e smartphones, os dispositivos apenas armazenam e fornecem informações a outros aparelhos, mas não efetuam, eles próprios, a leitura dos dados.

A aplicação do microchip é semelhante a colocar um piercing. De acordo com a AFP,  maior parte dos usuários suecos não se preocupa com o hackeamento das informações. O que pode mudar se as autoridades ampliarem a quantidade de dados no sistema, alerta o microbiólogo do Laboratório Max IV, da Suécia, Ben Libberton.

Dúvidas Jurídicas sobre a sua Startup? Conheça nosso PLANO STARTUP com assessoria jurídica especializada em Startups e Empresas de Tecnologia, contando com advogados especialistas em Startups. Não deixe de acompanhar nossos vídeos no CANAL SL, nossa página no FACEBOOK e assinar nossa NEWSLETTER.

Fonte: Época Negócios. Foto: Divulgação.