Xiaomi estreia com baixa na Bolsa de Valores de Hong Kong

A ideia inicial da companhia era abrir as negociações com cotas a, pelo menos, HK$ 17 cada, ou cerca de US$ 2,17

Xiaomi estreia com baixa na Bolsa de Valores de Hong Kong Xiaomi estreia com baixa na Bolsa de Valores de Hong Kong

Em seu primeiro dia de pregão, as ações da Xiaomi na Bolsa de Valores de Hong Kong chegaram a apresentar queda de 5,8%, recuperando um pouco de seu valor ao longo do dia. As transações encerram com baixa de 1,2%.

A ideia inicial da companhia era abrir as negociações com cotas a, pelo menos, HK$ 17 cada, ou cerca de US$ 2,17. Pouco antes do início das negociações, entretanto, os papéis da companhia já estavam valendo HK$ 16,60, ou aproximadamente US$ 2,12.

A Xiaomi, ainda assim, obteve seu ideal de ter o maior ganho financeiro desde o IPO do Alibaba, em 2014, que tem o recorde nesse quesito, com US$ 20 bilhões. Entretanto, para a fabricante de gadgets, foram US$ 4,7 bilhões obtidos, contra uma expectativa de US$ 10 bilhões. O CEO da Xiaomi, Lei Jun, reconheceu o timing ruim em declaração feita após o fim do primeiro dia de negociações. O executivo afirmou que o fluxo do mercado internacional realmente não favoreceu a companhia.

Jun manteve o otimismo e acredita que, mesmo com condições que julgou “longes das ideais”, a fabricante irá se provar lucrativa e interessante para os investidores, sendo capaz de se distinguir das outras da mesma forma como acontece na concorrência com seus produtos. Para o executivo, agora é hora de focar no longo prazo e é nele que a Xiaomi vai se provar uma empresa lucrativa.

Dúvidas Jurídicas sobre a sua Startup? Conheça nosso PLANO STARTUP com assessoria jurídica especializada em Startups e Empresas de Tecnologia, contando com advogados especialistas em Startups. Não deixe de acompanhar nossos vídeos no CANAL SL, nossa página no FACEBOOK e assinar nossa NEWSLETTER.

Fonte: CNBC. Foto: Divulgação/AP.