América Latina confirma atração de investimentos América Latina confirma atração de investimentos

América Latina confirma atração de investimentos

Escritório Silva | Lopes Advogados organiza momento para fomentar o ecossistema

O cenário promissor para startups  e empresas  do setor de tecnologia e inovação não chama a  atenção apenas de empreendedores, mas também de investidores. A América Latina, sobretudo o Brasil, vive um momento único neste sentido. Investidores nacionais e de fora do país estão mais atentos ao mercado brasileiro e aplicando seu capital por aqui.

Segundo dados levantados pela Associação de Venture Capital da América Latina (LAVCA), o volume de investimentos em startups latino-americanas aumentou nos últimos anos. O número quadruplicou desde 2016, chegando ao recorde de US$ 2 bilhões no ano passado. 

O Brasil é o principal responsável pela captação de investimentos. Somente em 2018, o país teve 55,9% dos negócios, totalizando US$ 1,3 bilhão em 259 aportes. A segunda e a terceira colocação ficam com México e Chile, respectivamente. 

Neste ano, o volume levantado em rodadas de investimento pode novamente dobrar, sendo o SoftBank Group o principal agente. O grupo japonês lançou em março deste ano um fundo de US$ 5 bilhões para investimento em startups latino-americanas. Este é o maior investimento de venture capital na região.

Com o aumento dos investimentos, também surgiu uma nova onda de unicórnios – como são chamadas as empresas com valor de mercado igual ou superior a US$ 1 bilhão.

Como captar um investimento?

Para desmistificar muitas dúvidas sobre o setor e sobre o venture capital, a segunda edição do Jantar SL vai reunir Canary, Indicator Capital e Companhia Riograndense de Participações (CRP), que estão entre principais fundos de investimentos do Brasil, em um painel com as aceleradoras gaúchas e CEO’s e founders de scale-ups e players importantes no ecossistema gaúcho. Entre os participantes confirmados estão representantes do Triider, Rocket.chat, Vakinha, Wow, Ventiur, Petrobras, O Amor é Simples e SoftDesign.

O encontro acontecerá durante a segunda edição do Jantar SL, e será na terça-feira, 17 de setembro, em Porto Alegre. O jantar, organizado pelo Silva | Lopes Advogados, especializado em tecnologia e inovação e um dos principais nomes do Brasil, possui um caráter descontraído e disruptivo, buscando promover e fortalecer o ecossistema do escritório e do Estado. “Estamos empolgados por unir fundos de investimentos tão importantes a um grupo seleto de startups e scale-ups”, comenta o CEO do Silva | Lopes, Layon Lopes. 

Para o sócio da CRP, José Augusto Albino, o ecossistema gaúcho é bastante promissor. “A expectativa é muito positiva, com o amadurecimento das empresas em estágio inicial que hoje vem se destacando na região. Outra tendência forte para o futuro é a pulverização/interiorização dos polos de tecnologia e novos negócios, com maior destaque para as regiões da serra e interior”, comenta Albino.

“Acreditamos no grande potencial de inovação da Região Sul do país e vemos Porto Alegre se destacando como um dos principais polos de surgimento de startups. Esperamos contribuir com esse ambiente e, como um fundo portas abertas, apoiar as startups como for possível”, corrobora a analista de investimento da IndicatorCapital, Juliane Martins. 

A Canary também aposta no potencial do Rio Grande do Sul. O estado é o segundo maior ecossistema brasileiro – ficando atrás apenas de São Paulo. O fundo pretende estar cada vez mais próximos do ecossistema e das startups da região. O primeiro passo para essa aproximação é a participação no Jantar SL.  

Conheça um pouco mais sobre os fundos participantes do evento:

Canary – O fundo fornece o primeiro cheque de capital institucional para startups e empresas de tecnologia e inovação que operam no Brasil. A Canary foi fundada por empreendedores: Mate Pencz e Florian Hagenbuch, co-fundadores da Printi e da Loft; Julio Vasconcellos, fundador do Peixe Urbano; Marcos Toledo e Patrick de Picciotto, ex-sócios da gestora de investimentos M Square, hoje VELT. O primeiro fundo do Canary investiu em 51 startups.

Por conta do background dos sócios, a Canary possui como diferencial o ponto de vista do empreendedor guiando toda a operação, desde o processo de investimento até a interação com as empresas pós-aporte. O fundo também conta com uma rede de contatos formada por alguns dos principais empreendedores de tecnologia e líderes de setores no país e exterior. Esses contatos são acionados quando founders nos procuram para pedir ajuda com mentoria, contratação e cliente.

IndicatorCapital – A gestora de Venture Capital early-stage, atuando tipicamente no Seed e Series A, investe em startups que potencializam a transformação digital em corporações. Com sócios no Vale do Silício e em São Paulo, o fundo destina seus investimentos em aplicações com uso avançado de dados digitais, automatizados e sob demanda para vários setores. 

O grupo busca alavancar os negócios das startups no Brasil, contribuindo para que seus fundadores se conectem com instituições relevantes e criem uma rede de relacionamento com empresas que ofereçam uma experiência digital em seus processos de negócio.

CRP –  A principal característica da CRP é o foco na região sul do país e São Paulo, onde o fundo tem uma forte rede de relacionamentos construídos ao longo de mais de 30 anos. O CRP busca por oportunidade de investimento seed e Series A, com investimento médio entre de R$ 5 e 10 milhões. O fundo também realiza aportes em startups que estão em fases fases iniciais, com investimentos  a partir de R$ 1 milhão.

Jantar SL – Realizado trimestralmente, o Jantar SL conta em cada edição com uma temática e com convidados especializados, para bater um papo com os players gaúchos. Sem perder a essência do segmento, o cardápio do jantar também traz informalidade, com hambúrgueres e chopp. 

O primeiro evento foi realizado em junho, e apresentou o Clube Benefícios e a  inteligência artificial focada em fintechs do Silva | Lopes Advogados, com o case da startup Vakinha.