Home » Blog » Banco Central amplia calendário para IPs pedirem autorização de funcionamento

Banco Central amplia calendário para IPs pedirem autorização de funcionamento

Texto estabelece novos parâmetros para o ingresso do pedido de autorização de funcionamento por parte empresas emissoras de moeda eletrônica

Banco Central amplia calendário para IPs pedirem autorização de funcionamento Banco Central amplia calendário para IPs pedirem autorização de funcionamento

Nesta quarta-feira, dia 16, o Banco Central (Bacen) publicou a Resolução BCB n° 257/22 que estende o calendário de transição para o pedido de autorização de funcionamento de Instituição de Pagamento que são emissoras de moeda eletrônica.  O novo calendário é aplicável às empresas que iniciaram a sua iniciação à sua prestação de serviços antes de março de 2021.

Com a atualização, a partir do dia 1º de dezembro deste ano, o calendário de transição que antes tinha previsão para finalizar em março de 2023 findará em até março de 2029, a depender da volumetria de transações alcançadas por cada instituição de pagamento. Conforme, o Bacen os prazos ocorrem da seguinte forma:

Se alcançar, entre 1º de janeiro de 2022 e 31 de dezembro de 2024, movimentações financeiras superiores a pelo menos um dos seguintes valores:

a) R$300.000.000,00 (trezentos milhões de reais) em transações de pagamento; ou

b) R$30.000.000,00 (trinta milhões de reais) em recursos mantidos em conta de pagamento pré-paga;

Se alcançar, entre 1º de janeiro de 2025 e 31 de dezembro de 2025, movimentações financeiras superiores a pelo menos um dos seguintes valores:

a) R$250.000.000,00 (duzentos e cinquenta milhões de reais) em transações de pagamento; ou

b) R$25.000.000,00 (vinte e cinco milhões de reais) em recursos mantidos em conta de pagamento pré-paga;

Se alcançar, entre 1º de janeiro de 2026 e 31 de dezembro de 2026, movimentações financeiras superiores a pelo menos um dos seguintes valores:

a) R$200.000.000,00 (duzentos milhões de reais) em transações de pagamento; ou

b) R$20.000.000,00 (vinte milhões de reais) em recursos mantidos em conta de pagamento pré-paga;

Se alcançar, entre 1º de janeiro de 2027 e 31 de dezembro de 2027, movimentações financeiras superiores a pelo menos um dos seguintes valores:

a) R$150.000.000,00 (cento e cinquenta milhões de reais) em transações de pagamento; ou

b) R$15.000.000,00 (quinze milhões de reais) em recursos mantidos em conta de pagamento pré-paga;

Se alcançar, entre 1º de janeiro de 2028 e 31 de dezembro de 2028, movimentações financeiras superiores a pelo menos um dos seguintes valores:

a) R$100.000.000,00 (cem milhões de reais) em transações de pagamento; ou

b) R$10.000.000,00 (dez milhões de reais) em recursos mantidos em conta de pagamento pré-paga; e

Até 31 de março de 2029, se não alcançar as movimentações financeiras previstas nos incisos I a VI.

Fonte: Banco Central. Foto: Marcello Casal/ Divulgação.