Home » Blog » Entre países da América Latina, Chile mantém liderança no Índice de Inovação Global 2022

Entre países da América Latina, Chile mantém liderança no Índice de Inovação Global 2022

O país andino sobe três posições no ranking mundial para o 50º lugar

Entre países da América Latina, Chile mantém liderança no Índice de Inovação Global 2022 Entre países da América Latina, Chile mantém liderança no Índice de Inovação Global 2022

O Chile segue liderando a lista entre os países da América Latina no Índice Global de Inovação 2022, segundo relatório da Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI) que apresentou sua última versão do Índice Global de Inovação 2022. O levantamento mede as principais tendências em inovação no mundo e lista as economias de acordo com seu desempenho.

O país andino subiu três posições no ranking, passando do 53º lugar em 2021 para o 50º lugar em 2022. O resultado superou sua pontuação de 2019 (51º), permitindo recuperar seu nível no índice, que avalia 132 economias de vários continentes.

Segundo o relatório, o Chile se destacou pela força de suas instituições, obtendo melhores resultados do que outros países da região em termos de qualidade de seus assuntos regulatórios. A edição deste ano também avaliou positivamente a porcentagem de estudantes que completam o ensino médio e entram na universidade.

Além disso, o país teve um bom desempenho na taxa de crescimento da produtividade do trabalho e na criação de novos negócios, o que está relacionado ao aumento do uso do sistema de propriedade intelectual e das aplicações de marcas residentes per capita.          

Quanto às oportunidades de melhoria para o Chile que são apontadas nos resultados das medições, há questões relacionadas à diversificação da indústria local, financiamento para startups e sua escalabilidade, bem como a exportação de bens criativos (indústria criativa) e serviços TIC, em relação ao total de remessas.

Brasil – Ainda segundo o relatório da Organização Mundial da Propriedade Intelectual, pela primeira vez, o Brasil (54º) está entre os três primeiros da região, ficando em 2º lugar e deslocando o México (58º), que cai para 3º e perdendo três posições em 2022. A Suíça voltou ao topo do índice e os Estados Unidos ao segundo lugar, como fez em 2020 e 2021.

O Brasil melhorou notavelmente seu desempenho em inovação, especialmente no que diz respeito a produtos criativos, como ativos intangíveis e criatividade online, bem como no depósito de pedidos de marcas e na criação de aplicativos móveis. O México está na vanguarda em indicadores como exportações de produtos criativos e importações e exportações de alta tecnologia.

De acordo com as conclusões do relatório, a pesquisa e desenvolvimento (P&D) e outros investimentos que impulsionam a atividade inovadora em todo o mundo dispararam em 2021, apesar da pandemia da COVID-19, mas enfrentam um futuro incerto a curto prazo devido aos novos desafios que surgiram em todo o mundo.

Foto: Divulgação.