Home » Blog » Gerdau Next e SpaceTime Labs lançam joint venture focada em inovação e indústria

Gerdau Next e SpaceTime Labs lançam joint venture focada em inovação e indústria

Nova empresa desenvolve e opera plataformas e soluções de gêmeos digitais que utilizam aprendizado de máquina e sistemas robóticos autônomos para a transformação de múltiplas indústrias de base

Gerdau Next e SpaceTime Labs lançam joint venture focada em inovação e indústria Gerdau Next e SpaceTime Labs lançam joint venture focada em inovação e indústria

A Gerdau Next, divisão de novos negócios da maior empresa brasileira produtora de aço, se uniu à SpaceTime Labs para lançar a joint venture Ubiratã. A empresa é especializada em alta tecnologia e na criação de plataformas que se integram ao cotidiano industrial por meio de inteligência artificial, sistemas autônomos e operações robotizadas.

A Ubiratã nasceu como um projeto da Gerdau e da SpaceTime Labs, em abril de 2021. Desde então, as companhias têm atuado em sinergia e os esforços evoluíram para formatação do negócio, que envolve 50% de participação de cada empresa. Com a joint venture, a produtora de aço, via Gerdau Next, converge seus propósitos de acelerar as transições da indústria para operações descarbonizadas, hiper-produtivas e resilientes, em harmonia e inspiradas pela natureza.

A joint venture conta com o conhecimento da Gerdau em cadeias de valor industriais, enquanto a SpaceTime Labs soma com seu conhecimento em aprendizado de máquina, robótica e sistemas autônomos aplicados à hiperprodutividade, descarbonização e resiliência. A Ubiratã já nasce operando, pois, duas tecnologias em estágio de desenvolvimento final pela empresa estão sendo aplicadas na maior unidade da Gerdau, a usina de Ouro Branco (MG). 

As tecnologias, pioneiras no setor, terão impacto significativo na redução de custos e na estratificação de informações sobre qualidade de insumos. Para os próximos meses, a atuação da Ubiratã deve ser ampliada para demais unidades operacionais da Gerdau nas Américas antes de escalar para a indústria de aço e outros mercados adjacentes, como mineração, cimento e demais indústrias de base nas Américas.

Foto: Divulgação.