Home » Blog » Pix é principal forma de pagamentos recebidos pelos pequenos negócios

Pix é principal forma de pagamentos recebidos pelos pequenos negócios

Pesquisa ouviu mais de 6 mil empresários de todo o país

Pix é principal forma de pagamentos recebidos pelos pequenos negócios Pix é principal forma de pagamentos recebidos pelos pequenos negócios

O Pix já é a principal forma de recebimento para 42% dos empreendedores e está à frente de outras modalidades como dinheiro e cartões de crédito e débito. As informações são da pesquisa “Pulso dos Pequenos Negócios”,  realizada pelo Sebrae e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O estudo ouviu, entre o fim de agosto e as duas primeiras semanas de setembro, mais de 6 mil empresários de todos os estados brasileiros e do Distrito Federal. Separados por porte, o Pix  tem seu melhor desempenho entre os MEI: 51% deles afirmam que esse é o principal meio de pagamento utilizado em suas vendas. Entre as micro e pequenas empresas, o sistema de pagamentos instantâneo é o principal meio para 28% dos entrevistados.

“Já havíamos percebido esse movimento de crescimento do Pix em pesquisas anteriores e, agora, constatamos que o meio digital vem ocupando, cada vez mais, lugar de destaque entre as formas de pagamento usadas pelos empreendedores”, destaca o presidente do Sebrae, Carlos Melles. Levantamento realizado pelo Sebrae no início do ano já havia detectado que nove em cada dez empreendedores de pequeno porte já estavam aceitando pagamentos via Pix.

“É um sistema ágil, que não onera o consumidor, mais barato que uma taxa de cartão e que pode ser usado 24 horas por dia”, ressalta Melles. Os microempreendedores individuais são os que mais recebem pagamento via Pix. De cada dez microempreendedores individuais, cinco tem no Pix a principal forma de recebimento, 20% no crédito, 15% no dinheiro e 5% no débito. Já entre os donos de micro e pequenas empresas as vendas via Pix não são a principal forma de recebimento, mas estão em segundo lugar e representam 28%, quantidade bem próxima a do cartão de crédito que corresponde a 30%.

Fonte: Sebrae. Foto: Divulgação.

PODCAST

Saiba o que são investimentos de impacto