Assessoria Jurídica para Startups

Plano Startup

O escritório Silva Lopes Advogados oferece advogados especialistas em assessoria jurídica para startups, tecnologia e inovação, sendo parceiro oficial da Associação Gaúcha de Startups (AGS) e do Tecnopuc/PUCRS (eleito o melhor parque tecnológico do Brasil). Pensando nas necessidades das startups foi formulado uma assessoria jurídica para startups denominado Plano Startup.

Plano Startup: Um plano mensal que contempla a consultoria e assessoria jurídica empresarial na modalidade Startup, para atuação em demandas extrajudiciais nas áreas:

  • Comercial;
  • Contratual Empresarial (Nacional);
  • Societária (Ltda.); e
  • Propriedade Intelectual.

A assessoria e consultoria jurídica extrajudicial se presta ao fornecimento de orientações sobre questões cotidianas da atividade empresarial de uma startup, dentre elas:

  • revisão e elaboração de termos de uso;
  • revisão e elaboração de contratos e distratos empresariais;
  • (re) estruturações societárias;
  • análise jurídica de operações empresariais;
  • entrada de investimento;
  • operação de “desinvestimento”;
  • políticas de privacidade;
  • registro e proteção da marca;
  • pareceres técnicos;
  • esclarecimentos legislativos;
  • consultas de jurisprudência;
  • elaboração de notificações; e
  • auxílio jurídico em negociações complexas.

Todos os serviços descritos são sem limite de demanda. Aqui contemplamos todas as necessidades do dia-dia empresarial de uma startup.

Os serviços que contemplam o Plano Startup foram cuidadosamente selecionados após termos a experiência de auxiliar juridicamente centenas de startups ao redor do Brasil.

Se você precisa de assessoria jurídica especializada em startups, advogados para startups, jurídico especializado para startups. Pode contar conosco!

Para maiores informações clique no botão ao final da página.

O que é uma Startup?

Uma startup pode ser conceituada como um “projeto na busca de um modelo de negócio inovador, replicável e de alto crescimento”. Dessa forma, como a própria Amazon, é muito direcionada na receita para seu financiamento e no potencial de crescimento, por ter um produto ou serviço escalável. Já uma pequena empresa tradicional é por característica muito mais focada na rentabilidade inicial do negócio e não possui uma previsão de crescimento tão expressiva e rápida.

Esse é um dos grandes motivos que boa parte das startups atua no ramo de tecnologia. Ocorre que a tecnologia irá auxiliar e muito para que o modelo de negócio seja escalável, sem aumentar os custos na mesma proporção. Porém, ser uma empresa de tecnologia, não é um pré-requisito para ser uma startup.

Outro ponto em que irão se diferenciar é no produto ou serviço que oferecem, uma startup busca apresentar para o mercado algo disruptivo, inovador, que solucione um problema vigente, entregando assim, mais valor para os seus consumidores. Enquanto que uma pequena empresa, normalmente, comercializará produtos ou serviços mais conhecidos pela população.

Levando em consideração estas características distintas que possuem, dificilmente, uma startup não passará por uma ou mais rodadas de investimentos, os quais provêm de pessoas que não faziam parte da sociedade no primeiro momento. Isto acontece, porque, ao contrário da pequena empresa, que já possui um modelo de negócio tradicional, organizado e validado no mercado, a startup precisa de tempo e recurso até de fato validar seu produto e conseguir escalar. Caso contrário, seria improvável que apresentasse alguma disrupção ou inovação.

Se pode concluir, então, que as startups trabalham com uma insegurança muito maior, uma vez que visam solucionar um problema de forma diferente do já feito, através de um produto escalável e repetível. Ademais, conforme analisado, existem pontos formais e materiais que impedirão que ambas as empresas sejam sinônimos, estando o principal deles modelo de negócio, na forma em que é estruturada, nos seus objetivos e pelo o que é guiada.